Crie uma API

Como criar uma API de sucesso

Tempo de leitura: cerca de 7 minutos

Seja internamente para sua empresa ou externamente para seus usuários e clientes, APIs agregam valor comercial e aproveitam seu software ao máximo, pois viabiliza a comunicação entre suas aplicações. Já se foi o tempo em que software é executado de forma isolada e sem “conversar” com outros softwares. 

APIs oferecem flexibilidade e ajudam a personalizar suas aplicações, além de incorporarem soluções de terceiros. 

Tipos de APIs

Existem três tipos principais de APIs, todos com suas vantagens e desvantagens. 

APIs privadas

APIs internas, chamadas de APIs privadas, criam uma interface de comunicação entre os aplicações usadas pela sua equipe, incluindo software de terceiros usados juntos com o seu próprio. 

APIs públicas 

Também conhecida como API aberta, as APIs públicas são usadas por equipes de desenvolvimento que desejam personalizar aplicações para acessá-las com software proprietário. 

APIs de parceiros

Semelhante a uma API pública, as APIs de parceiros criam o acesso para que o software se comunique com aplicações proprietárias. No entanto, diferente de APIs públicas, as APIs de parceiros não são publicamente acessíveis e exigem um acesso especial concedido por uma parceria com a empresa proprietária ou controladora do software proprietário. 

Benefícios das APIs

APIs potencializam seu software e melhoram a forma como ele é recebido e os benefícios que oferece. 

Lançamento mais rápido no mercado

APIs oferecem aos desenvolvedores tecnologias prontas para serem aplicadas em seus aplicativos e, portanto, ajudam a economizar tempo e dinheiro durante o processo todo de entrada no mercado. O quanto antes o produto é lançado no mercado, mais recursos sua equipe economiza. 

Terceirize a complexidade

Em vez de lidar com as complexidades das interfaces de software, APIs ajudam os desenvolvedores a aproveitar os recursos diferenciados das aplicações. Sua equipe poderá priorizar recursos e funcionalidades em vez de repetir trabalhos de APIs já realizados pelos outros. 

Experiência aprimorada do usuário 

Sua organização pode usar APIs para oferecer experiências melhores para os usuários. Por exemplo: quem usa seu aplicativo junto com outros aplicativos conhecidos fica mais satisfeito com uma API disponível. Seus desenvolvedores podem criar experiências digitais aprimoradas por meio de um software que funciona melhor e oferece mais recursos. 

    crie uma API
    .
    Ler mais

    Como desenvolver uma API em seis passos 

    Para criar uma API, sua equipe de desenvolvimento precisa seguir um processo específico de forma cuidadosa para poder trabalhar com mais eficiência. Ao criar uma API corretamente, você maximiza seu investimento e permite que os usuários e outros desenvolvedores obtenham mais valor dos seus aplicativos, o que melhora a reputação e a popularidade da sua marca. 

    Planejamento 

    É essencial planejar a API. Antes de iniciar a prototipagem e o desenvolvimento da API, elabore um plano: primeiro, identifique um público-alvo de desenvolvedores. Depois, confira abaixo alguns outros componentes para o seu plano: 

    • Defina um caso de uso: determine como você usará sua API para atender às suas necessidades comerciais específicas. 
    • Comece com uma especificação: as especificações da API, como a especificação OpenAPI, ajudam os desenvolvedores a terem um maior foco enquanto planejam o design da API. O método de “projetar primeiro” ajuda as equipes de desenvolvimento a lançarem as APIs mais rapidamente. 
    • Defina seus requisitos com antecedência: obtenha apoio e descreva os requisitos das suas APIs para que sua equipe saiba qual caminho seguir. Considere sua usabilidade, confiabilidade, expansibilidade, testabilidade e segurança. 

    Projete e crie um protótipo

    Projete sua API criando o primeiro protótipo e aprimore-o com o tempo. Toda API precisa atender a requisitos básicos de confiabilidade, segurança e capacidade de expansão. Com um protótipo feito, você pode começar a criar uma API. Considere os elementos abaixo durante o processo de design:

    • Crie fluxogramas de APIs: com um fluxograma de API em mãos, sua equipe mapeia a lógica geral da API, confere como as informações fluem por ela e descobre oportunidades para fazer otimizações. 
    • Inclua a segurança no design: quatro camadas de segurança — identificação, autenticação, autorização e criptografia — protegem sua marca, reputação, parceiros, comunidade de desenvolvedores e usuários finais. 
    • Determine a arquitetura: as arquiteturas de APIs podem ser um protocolo simples de acesso a objetos (SOAP) ou uma transferência representacional de estado (REST). O SOAP é mais seguro, mas usa a formatação de dados XML e tem deficiências devido a um maior uso de largura de banda e regras rígidas. No momento, o REST é a arquitetura mais usada na maioria das aplicações porque é mais leve e flexível, embora não tenha tantas vantagens de segurança quanto o SOAP. 
    • Planeje seu portal de desenvolvedores: para oferecer uma ótima experiência ao cliente com sua API, é necessário ter um portal de desenvolvedores fácil de usar; portanto, planeje como criar um portal que ajude os desenvolvedores a trabalhar com mais praticidade. Crie-o para atender às necessidades deles. 
    • Crie um protótipo: criar dados falsos, mas que sejam representativos para um banco de dados de teste, pode ajudar você a desenvolver o protótipo. Como resultado, você poderá criar um frontend rápido e leve. 
    Fluxograma de API
    Exemplo de fluxograma de API (clique na imagem para modificar online)

    Desenvolva 

    Siga as práticas recomendadas de desenvolvimento de APIs para sua marca proteger as APIs à medida que são criadas. A forma como uma API é criada e desenvolvida impacta seu desempenho, segurança e taxa de tempo de atividade. 

    • Otimize sua API: a otimização do desempenho em relação a solicitações abrangentes; o uso mais expressivo de recursos; e outras situações da sua API pode melhorar a experiência do usuário e, possivelmente, impedir interrupções. 
    • Atenção às vulnerabilidades de segurança: como APIs podem ser vulneráveis, priorizar a segurança ao desenvolver sua estrutura é uma prática recomendada para equipes de desenvolvedores. Consultas, estruturas e servidores SQL podem aparecer em erros na API, possivelmente deixando suas aplicações suscetíveis a ataques de hackers. 
    • Cotas e limitações: grandes aumentos de tráfego, sejam ataques de negação de serviços (DoS) ou alterações naturais de uso, podem causar interrupções em APIs. Cotas de tráfego e estratégias de limitações evitam picos que causam interrupções.

    Testar

    Virtualize sua API (não recomendamos fazer testes de desempenho em uma versão ativa) para encontrar erros e possíveis gargalos e solucioná-los antes do lançamento. Fazer testes realistas ajuda sua equipe a preparar dados que podem ser colocados em prática. 

    • Identifique problemas e encontre soluções com antecedência: teste as diferentes redes e crie erros de testes para ver como sua API lida com eles. 
    • Isole as funções da API: ao testar as funções, separe-as. A confiabilidade, segurança e desempenho devem ser minuciosamente testados. 

    Lance

    Você projetou, criou e testou suficientemente a sua nova API; agora, chegou a hora de lançá-la. Determine como anunciar a novidade e divulgar sua API. 

    • Crie um anúncio de lançamento: dependendo de quem usará a API, crie um anúncio. 
    • Anuncie em uma lista de APIs: os diretórios de APIs são ótimos para divulgar a existência e o valor comercial da sua API para as empresas. 

    Monitore e repita

    Após criar e lançar a API no mercado ou para os clientes, faça um monitoramento contínuo dela para analisar o desempenho e ajustá-la conforme necessário. Permaneça em contato com sua comunidade de desenvolvedores, parcerias, usuários finais e outras partes interessadas para garantir que sua API continue relevante. 

    • Considere as analytics: serviços de analytics coletam dados criados por sua API e outras fontes. Com um painel de controle visual, você monitora e colabora nas analytics em um único painel. 
    • Decida quais métricas monitorar: usuários avulsos por mês, tempo de atividade da API, solicitações por mês, uso de memória do servidor ou outras métricas que agregam valor para sua empresa, parceiros ou usuários. 
    Crie uma API
    O diagrama UML pode ser útil para mostrar o fluxo de informações na sua API.
    Veja como

    O diagrama UML pode ser útil para mostrar o fluxo de informações na sua API.

    Saiba mais

    Bastante acessado

    The 4 Phases of the Project Management Life CycleAs 4 fases do ciclo de vida da gestão de projetos

    Sobre o Lucidchart

    O Lucidchart é o aplicativo de diagramação inteligente que capacita as equipes a esclarecer a complexidade, alinhar seus insights e construir o futuro, mais rapidamente. Com esta solução intuitiva baseada em nuvem, todos podem trabalhar visualmente e colaborar em tempo real enquanto criam fluxogramas, maquetes, diagramas UML e muito mais.

    O Lucidchart é a alternativa on-line ao Visio mais conhecida e utilizada em mais de 180 países por milhões de usuários, desde gerentes de vendas para mapear organizações-alvo a diretores de TI para visualizar sua infraestrutura de rede.

    Iniciar

    • Preços
    • Individual
    • Equipe
    • Empresa
    • Falar com área de vendas
    PrivacidadeJurídicoCookies

    © 2022 Lucid Software Inc.